logo
A powerful architecture & Construction theme. Construct your website in the perfect Ratio.
Alienum phaedrum torquatos nec eu, vis detraxit periculis ex, nihil expetendis in mei. Mei an pericula

Moradia na Seara

“Um elogio à arquitetura numa seara do Ribatejo”

Por mais de sete anos, os proprietários desta moradia procuraram o lugar ideal para construir uma casa de fim-de-semana. Encontrado o ambicionado terreno, dois hectares isolados, com a vizinhança distante, decidiram dar lugar a um sonho de ambos. Foi a partir da necessidade de encontrar um sítio para apreciar a paisagem, fotografar, pintar, um lugar de recolhimento, sossegado onde pudessem estar sozinhos que os clientes determinaram o local. A exigência que impuseram à arquitetura foi a mesma que decidiu a escolha do local, que o terreno teria de estar virado ao pôr-do-sol. Para os proprietários, são muito importantes as cores do pôr-do-sol, do laranja aos azuis, o espectáculo é digno de ser apreciado. Pediram linhas simples, o espaço concebido de dentro para fora e uma implantação que não obstruísse a paisagem, mais do que uma necessidade, foi uma ideia pré-concebida.

Posicionado de Norte para Sul, o projeto da moradia está organizado com dois espaços divididos em dois pisos. A opção de uma volumetria horizontal, é agitada apenas pela introdução de um volume elevado que funciona como um apartamento autónomo. Esta foi uma das condicionantes do projeto, uma “habitação na Seara”. Foi fundamental que este espaço tivesse vista sobre a seara, mas também pudesse ser visto no sentido oposto. A organização da moradia teve uma conceção simples com poucas divisões entre espaços e, remete-nos de certa forma, para a arquitetura do movimento moderno e em particular, para a Glass House do arquiteto Norte-americano Philip Johnson.

A opção arquitetónica destaca-se pelo espaço racionalista e depurado, a partir do qual, a luz controlada, sem reflexos e sob a imensa laje no piso térreo sem qualquer pilar à vista, permite contemplar melhor toda a área exterior. Trata-se claramente de uma referência a Mies van der Rohe, no entanto, o que marca mais, não é o espaço mas sim, a forma como se pretende que a moradia marque a sua silhueta na paisagem. Pretende-se que o olhar sobre a fachada ao entardecer nos dê esta interação, do volume e da massa na paisagem natural.

 

Localização

Ribatejo

Ano:

Em desenvolvimento

Arquitetura:

Nuno Ladeiro / Carmo Branco

Categoria

Arquitetura

Tags:

arquitecto, arquitectura, arquitecturademadeira, Arquitetura, arquiteturacontemporanea, arquiteturadeinteriores, Contemporânea, Design, Designdeinteriores, designminimal, designmoderno